Quando falamos sobre as tecnologias de dados, cada dia mais aplicadas no universo corporativo, muitas expressões específicas do segmento costumam surgir na conversa. Big Data, Big Data Analytics e Business Intelligence são algumas delas. Embora a maioria das pessoas já tenha ouvido falar esses nomes, poucas sabem de fato o que eles significam e menos ainda diferenciá-los. O resultado disso é que, comumente, esses três conceitos diferentes acabam sendo confundidos pelos mais leigos e gerando a maior dúvida em quem não domina o assunto.

Então, para acabar de vez com esse mal-entendido, no post de hoje nós vamos explicar para você os conceitos de Big Data, Big Data Analytics e Business Intelligence, suas diferenças e respectivas aplicabilidades. Assim, da próxima vez que esse tópico for abordado, você não vai mais ficar perdido no assunto e poderá até se posicionar com segurança. Vamos nessa?

Big Data

Como já falamos aqui no blog outras vezes, chamamos de Big Data o amontoado infinito de dados que resultam de transações online realizadas por indivíduos no mundo todo. Fez um post nas redes sociais? Usou um aplicativo no celular? Postou alguma foto no seu perfil ou compartilhou alguma mídia com alguém por Whatsapp? Acessou um site? Todos esses movimentos, entre tantos outros, geram milhares de dados que, quando somados, se transformam em milhões e alimentam o Big Data, que por sua vez funciona como matéria prima para os outros dois conceitos que vamos explicar abaixo.

Big Data Analytics

Muitos desses resquícios de transações que ficam disponíveis no Big Data são completamente desestruturados, ou seja, não possuem nenhuma ordenação que faça com que seja possível interpretá-los. Nesses casos, dados são apenas pontas soltas, não podendo ser considerados como informação, o que faz deles praticamente inúteis nesse estágio. E é aí então que entra o Big Data Analytics, com uma análise direcionada desse material bruto, voltada para os interesses da empresa, que funciona como um refino para descobrir como determinados fragmentos desse enorme universo se relacionam. A análise desses dados com a ajuda de softwares e algoritmos de alta performance, responsáveis por garimpar e encontrar relações entre eles, é que permite que o produto final desse processo seja a informação precisa e valiosa, atrás da qual muitas empresas têm corrido para obter vantagens competitivas frente aos concorrentes.

Business Intelligence

Depois das duas definições acima, BI é o estágio seguinte da utilização dos dados no contexto corporativo, ou seja, só é possível graças aos dois primeiros. Ele é a aplicação dos dados em seu nível mais sofisticado na gestão estratégica dos negócios e consiste em utilizar as informações extraídas das análises nas tomadas de decisões da empresa. E para que essas informações fiquem disponíveis de maneira ordenada para serem consultadas rápida a precisamente, o setor responsável pela área de Business Intelligence de uma companhia também se preocupa em otimizar as ferramentas de consulta e interpretação, tudo para minimizar o tempo de busca de qualquer informação que se queira e agilizar a aplicabilidade da mesma. Afinal, tempo é dinheiro!

Pronto, essas são as informações que faltavam para você deixar de boiar na conversa quando o assunto for sobre as tecnologias e ferramentas relacionadas à Big Data. Por mais que às vezes seja difícil acompanhar todos os conceitos e expressões dessa nova área, é importante estar por dentro, principalmente porque ela vem ganhando cada vez mais espaço dentro das empresas. Logo, se manter informado sobre o assunto nunca é demais, principalmente se você quiser fazer parte dessa revolução de informações. E, vamos combinar, você seria louco de não querer.

BigDataCorp