BigBoost oferece novo modelo de renda e faturamento presumidos de pessoas e empresas! Confira:

Informações relacionadas com a renda dos indivíduos (e com o faturamento das empresas) estão entre as mais requisitadas por nossos clientes, devido a sua enorme gama de aplicações. Elas permitem segmentar melhor públicos-alvo, qualificar melhor leads e clientes, analisar critérios de risco de crédito e de fraude, ou até mesmo simplificar processos, dispensando o pedido de documentos de comprovação ou outros elementos de cadastro. Todas essas aplicações, no entanto, dependem da qualidade da informação que é entregue.
Ao mesmo tempo que são extremamente relevantes, os dados de renda estão entre os mais sensíveis e confidenciais do mercado. Não existe nenhuma fonte pública de informações que nos permita capturar ou confirmar o quanto uma pessoa ou uma empresa recebe por mês. Para poder entregar esse tipo de informação, construímos uma série de modelos de renda presumida, que procuram olhar para diferentes informações e características da pessoa consultada e avaliar qual é a renda mensal – ou o faturamento anual, no caso de empresas – dela.
Clientes BigBoost que fazem uso desses dados, contidos no dataset de Informações Financeiras, já contavam com 4 diferentes modelos de renda, baseados em informações censitárias, características sócio-demográficas e na participação do indivíduo em empresas. Contudo, visando melhorias constantes, esse mês, estamos lançando mais um modelo de renda e faturamento, que tem como objetivo resolver dois problemas enfrentados pelos nossos clientes no uso dos modelos que já estavam disponíveis.
O primeiro é um problema de granularidade das informações. Todos os modelos que havíamos desenvolvido anteriormente trabalhavam com faixas de renda mensal baseadas nas faixas definidas pelo IBGE para suas pesquisas estatísticas. No entanto, essas faixas são muito amplas. No novo modelo, trabalhamos com faixas de maior granularidade, o que permite um processo de tomada de decisão mais efetivo em cima desses dados.
O segundo problema é a ausência de informações. Os modelos anteriores exibem uma tendência de classificar indivíduos na classe “SEM INFORMAÇÃO” quando apenas parte dos dados sobre um indivíduo estavam disponíveis. O novo modelo trabalha com um conceito de “modelos em cascata”, desenvolvidos para trabalhar com diferentes conjuntos de dados, dos mais simples aos mais complexos. Assim, mesmo que a informação esteja incompleta, ainda conseguimos entregar uma resposta assertiva.
 

Usando o novo modelo de renda e faturamento presumidos do BigBoost

Os modelos de renda e faturamento presumidos fazem parte do dataset de Informações Financeiras. Caso você já faça chamadas neste dataset, os resultados do novo modelo serão apresentados junto com o resultado de todos os outros modelos que já eram retornados. Não houve nenhum aumento de custo no dataset: sua empresa recebe mais informações por exatamente o mesmo preço.
Se você já é cliente do BigBoost, ainda não usa esse dataset, mas gostaria de usar, entre em contato com a nossa equipe, ou confira diretamente na documentação como você pode fazer a chamada.
Caso você ainda não seja cliente BigDataCorp, fale com a gente. Será um prazer conversar com você.

BigDataCorp