A moeda virtual bitcoin é um dos tópicos mais comentados do momento, e sua fama já extrapolou os limites da internet, alcançando também o universo fora dela. O sucesso e a rápida expansão e aderência à nova unidade monetária têm chamado a atenção de especialistas do mercado financeiro e de grandes veículos de comunicação no mundo todo. E não é para menos. A criptomoeda está revolucionando as transações financeiras através de um novo modelo baseado na descentralização da informação, através da tecnologia de blockchain, e ganhando cada dia mais adeptos.

Você sabe como tudo isso funciona? Se a sua resposta é não e o parágrafo acima soou como grego, fica de olho no post de hoje que nós contamos tudo que você precisa saber para não ficar por fora do assunto!

Afinal, o qual é o barato do blockchain?

Depois de bitcoin, blockchain é a segunda palavra mais pronunciada dentro desse contexto. Em tradução literal, ela quer dizer “corrente de blocos”, e se refere à tecnologia utilizada para o registro de todas as transações financeiras de bitcoin e outras criptomoedas já realizadas, que são armazenadas em blocos, ligados uns aos outros por elos, chamados de hash. Daí vem a ideia de corrente. É como se essas informações fossem inseridas em algo como um livro-razão unificado, que acumula todas as informações de forma linear e cronológica.

Todavia, você deve estar se perguntando “o que o blockchain tem de tão diferente?”, uma vez que o conceito de livro-razão é super difundido. Na verdade, muita coisa. Logo de cara, esse “livro contábil” é público, compartilhado e universal, o que quer dizer que as informações podem ser acessadas por qualquer pessoa, de qualquer lugar. Ou seja, ao contrário do modelo financeiro tradicional, você pode verificar o registro não só das suas transações, como de todas as outras. Essa descentralização de registro funciona como uma medida de segurança, já que é praticamente impossível fraudar uma informação que tem milhares de cópias espalhadas por aí.

O conceito inovador tem dado tão certo que grandes bancos, empresas e governos estão olhando com simpatia para o blockchain e estudando formas de utilizar a tecnologia para integrar serviços financeiros.

Blockchain e Big Data

Ao contrário das transações realizadas no ambiente financeiro tradicional, que são sigilosas em sua maioria, os registros presentes no blockchain são um prato cheio para a análise de dados. Como a matéria prima do Big Data é a abundância de dados, tendo todos esses registros disponíveis, é possível realizar um estudo mais profundo sobre os padrões das transações financeiras, organizando e transformando esses dados em informações.

A principal motivação para a adesão da tecnologia de blockchain pelo setor financeiro é a segurança. Um exemplo de como blockchain e Big Data podem caminhar juntos é na avaliação de transações de riscos. Em um cenário em que há a possibilidade de analisar a média de gastos e transações realizadas por um usuário, é muito mais fácil identificar quando uma movimentação foge ao padrão dessa pessoa, reduzindo o tempo, o custo e a margem de erro dessa avaliação.

Pronto, agora você já sabe por que os mercados financeiro e tecnológico estão tão agitados em torno desse tema, considerando que o caráter instantâneo e seguro dessas transações podem revolucionar os sistemas de dados tradicionais. A tecnologia de blockchain pode transformar completamente os formatos de transações financeiras da forma como conhecemos em um futuro bastante próximo, impactando tanto indivíduos quanto algumas das maiores instituições privadas e governamentais do mundo.

BigDataCorp