Independente do ramo de atuação, o que toda empresa quer é expandir seus negócios e aumentar seu faturamento. E para isso, há muitas opções de caminhos a serem tomados, estratégias, táticas, acordos e processos. Na era da economia dos dados, as informações passaram a ser o principal ativo das empresas, e utilizar dados para desenvolver estratégias tem se mostrado o melhor caminho para o sucesso das corporações.

Quando falamos em aumentar as vendas por meio do uso de dados, alguns passos precisam ser adotados. O primeiro deles já foi abordado em nosso último artigo publicado aqui no blog, que é utilizar os dados para desenvolver o planejamento estratégico. Uma vez definida a estratégia, o próximo passo é saber como aplicar os dados no nível tático para atingir os seus objetivos. Na área comercial, além do objetivo óbvio (vender mais), uma outra necessidade comum é melhorar a eficiência. E é aí que entra a segmentação de mercado, processo que ajuda a definir qual o público-alvo a ser impactado para evitar desperdícios de tempo e de dinheiro.

Poder contar com uma segmentação mais sofisticada é um primeiro ponto para conseguir impulsionar as vendas. Quem são as pessoas ou empresas que possivelmente se interessariam por seus produtos e serviços? Pessoas que praticam atividades físicas, que gostam de consumir determinados produtos, que ocupam os cargos X, Y e Z e que moram em determinada região? Ou famílias com 1, 2 ou 3 filhos, com determinada renda mensal e que morem em apartamentos? Ou ainda empresas e escritórios de segmentos específicos com um número X de empregados e faturamento na faixa entre A e B? Estas são características comportamentais que, se não combinadas com dados sociodemográficos mais sofisticados, não permitirão a segmentação necessária.

Um segundo ponto de otimização é a qualificação dos leads. Em muitos casos, o esforço da área comercial é mal direcionado, gasto em cima de clientes que não têm o perfil certo. Para evitar desperdício de tempo e de dinheiro, sua empresa pode utilizar os dados para fazer um processo de enriquecimento de informação na hora que alguém entrar em contato querendo comprar o seu produto ou contratar o seu serviço, identificando se aquela pessoa está no perfil que vale mais ou menos a pena um investimento da empresa para torná-lo um cliente.

Quantas vezes fazemos uma pesquisa de um apartamento ou carro dos nossos sonhos, apenas por curiosidade, conscientes de que a realização daquele sonho ainda está um pouco distante, e passamos a ser bombardeados por anúncios, e-mails e até telefonemas de empresas interessadas em vender? Se essas empresas investissem na qualificação dos seus leads por meio de dados, não perderiam tempo direcionando esforços em uma compra que não será realizada.

Imagine ainda um modelo de negócio B2B que recebe em seu site a solicitação de uma empresa querendo informações sobre o seu serviço. Identificar se aquela empresa está dentro do seu público-alvo, seja em tamanho, faturamento, área de atuação ou número de funcionários, ajudará a decidir o nível de esforço que deverá ser direcionado para aquela venda. A ideia não é deixar de atender, mas otimizar e racionalizar o esforço da área comercial para melhorar os resultados.

A última vertical, quando o assunto é aumentar as vendas, é a importância de reduzir a fricção no processo de venda ou de contratação de serviço e torná-lo o mais simples possível. Solicitar que um potencial cliente envie um número excessivo de documentos e certidões que comprovem, por exemplo, sua existência ou faturamento, pode levar à desistência do negócio e à perda do novo cliente. Tratam-se de documentos que podem ser legal e automaticamente obtidos na rede e de dados que facilmente são recuperados por empresas especializadas na captura e no tratamento de informações. E aí, sua empresa pode tomar decisões sem incomodar o cliente.

O mesmo acontece com relação a pessoas físicas. Não é necessário que o cliente preencha um número cansativo de páginas e formulários cadastrais para que sua empresa tome uma decisão de, por exemplo, liberar um empréstimo, um cartão de crédito ou permitir uma venda. Dados adquiridos por empresas especializadas podem preencher esses cadastros automaticamente, servindo até mesmo para avaliar o risco de fraude daquele cliente sem gerar atrito ou desconforto.

Os dois principais produtos oferecidos pela BigData Corp suprem exatamente essas demandas das empresas. Por meio do BigBoost e do BigID, sua empresa pode, por exemplo, realizar o preenchimento automático dos formulários de clientes com dados qualificados e verificar a existência ou a possibilidade de fraudes sem criar burocracia, respectivamente.

BigDataCorp