Que o Brasil é um dos terrenos mais férteis do agronegócio mundial, todo mundo sabe. A agricultura faz parte da nossa cultura enquanto país, e por muitos anos foi considerada uma característica de países subdesenvolvidos, enquanto os de chamado “primeiro mundo” já vinham realizando sólidos investimentos em ciência e tecnologia. Contudo, e quando esses dois universos passam a trabalhar em conjunto?

No post de hoje nós vamos falar sobre como o Big Data vem revolucionando o agronegócio e de como a tecnologia pode ajudar na otimização do desempenho desse setor, que afinal de contas simboliza a atividade mais antiga e primordial da humanidade.

Agricultura de Precisão

O uso da tecnologia de informação no mundo agrícola para implantar a automação de processos, como a dosagem de adubos e agrotóxicos, levando em consideração a variabilidade do clima e do solo a partir de dados específicos de áreas geograficamente monitoradas por GPS, mudou completamente a forma como a agricultura era realizada no mundo todo.

Com o objetivo de diminuir os custos de produção, prevenir a contaminação da natureza por agrotóxicos e o crescimento da produtividade, a AP pode ser considerada como toda e qualquer interferência realizada no processo agrícola, com o objetivo de proporcionar as melhores condições possíveis para o cultivo das espécies, de natureza física, química, ou biológica, apoiando-se na geoestatística.

Big Data: o próximo passo já começou

O uso da tecnologia de Big Data no agronegócio entrou como uma ferramenta ultra impulsionadora na agricultura de precisão. Ela permite que dados ainda mais detalhados sejam gerados, graças ao uso de softwares e sensores que, em conjunto, terão o poder de aprimorar as recomendações de plantio, proporcionando uma avaliação cada vez mais particular e minuciosa de solos, sementes, equipamentos, defensivos e insumos.

Assim como nos outros campos em que o Big Data é utilizado, ele permite sugestões extremamente específicas com o objetivo de aumentar a produtividade, como as melhores datas de plantio e colheita, prevenção de pragas e contaminações do solo e economia de água.

Case: Climate Corporation

A Climate Corporation, sediada em São Francisco, no Vale do Silício, é uma empresa especializada no desenvolvimento de tecnologias focadas na coleta, monitoramento e análise de diversos dados presentes em lavouras. Essas informações são processadas em tempo real, construindo um banco de dados completo, simples e de fácil acesso por parte dos produtores rurais, independente do número de hectares.

Recentemente, a Climate Corporation foi adquirida pela gigante Monsanto, que investiu quase um bilhão de dólares na aquisição, apostando na agricultura digital. Com o objetivo de agrupar todos os outros progressos já realizados no segmento nas últimas cinco décadas, a empresa quer ajudar os agricultores a tomarem as melhores decisões sobre suas plantações, com base em dados estatísticos e outras informações detalhadas.

O uso da tecnologia de Big Data nesse processo vai permitir o aumento exponencial da produtividade, de forma que cada hectare e cada saco de semente cultivado tenha o melhor desempenho possível. Além disso, a agricultura digital ainda traz benefícios ambientais, uma vez que ela otimiza o uso de recursos naturais, eliminando desperdícios e desgastes desnecessários.

 

BigDataCorp