Os dados são uma fonte importante de diferencial competitivo para as empresas. Com eles, é possível entender melhor o comportamento dos consumidores, ajustar a precificação de produtos, maximizar as conversões e as vendas, reduzir fraudes, e muito mais. Como já falamos em outros posts, as empresas mais valiosas do mercado não são as que tem os melhores produtos ou os melhores preços, mas sim as que conseguem trabalhar melhor os dados, otimizando seus processos para extrair o máximo possível da sua operação.

A grande maioria das empresas, no entanto, não trabalha os dados da maneira correta. Seja por acreditarem que primeiro precisam crescer e ter um grande volume de informações para poder gerar valor a partir delas; por assumirem que não tem o conhecimento técnico necessário para analisar os dados; ou mesmo por acharem que análise de dados é uma coisa que apenas as empresas com muito dinheiro conseguem fazer, a verdade é que os dados acabam sendo tratados como “cidadãos de segunda classe”. Com isso, grande parte do valor que eles possuem acaba sendo perdido. Para reverter essa situação, propomos abaixo quatro resoluções de ano novo para você tirar maior proveito dos seus dados em 2022.

A primeira, e talvez mais fácil de se implementar, é passar a tratar os seus dados com o carinho que eles merecem. Muitas empresas, especialmente as que estão no começo, pensam que organizar os dados é uma tarefa que pode ser deixada para depois, quando tiverem mais estrutura, uma equipe de TI dedicada, e mais recursos. O problema é que, quando efetivamente crescem, descobrem que os dados estão desorganizados, quebrados, ou até mesmo perdidos, e perdem a oportunidade de extrair informações valiosas deles. Tratar os dados com carinho significa pensar na forma como eles são armazenados e como eles podem ser acessados, para que eles estejam disponíveis quando você precisar. Quanto mais cedo nos preocupamos com a organização, mais fácil é organizar as coisas; com os dados, não é diferente.

A segunda resolução (que pode ser bastante facilitada se você também aderir a primeira, acima) é de executar ao menos um projeto de geração de valor a partir dos seus dados. Geralmente, quando falamos de “projetos de dados”, as pessoas logo pensam em modelos de inteligência artificial, sistemas de BI, ou outras coisas sofisticadas e complexas, que podem gerar um custo elevado, tanto de tempo quanto de dinheiro. Com isso, a ideia de fazer um projeto com dados acaba sendo deixada de lado. A verdade é que extrair valor dos dados pode ser algo tão simples como olhar para o seu histórico de vendas para entender a sazonalidade dos principais produtos, e agir em cima dela, seja melhorando o estoque em função das vendas, ou ajustando dinamicamente os preços com o aumento de demanda. Tudo isso pode ser feito manualmente, com pouco (ou nenhum) investimento financeiro, e sem a necessidade de grandes conhecimentos técnicos. Existem centenas de iniciativas que podem se valer da análise de dados para melhorar algum pequeno aspecto da sua operação. Resolva fazer alguma delas, por menor que seja, para começar a aprender o valor que os dados podem trazer.

Para ajudar nesse ponto, a nossa terceira resolução é de “adotar” um aspirante a cientista de dados. “Cientista de Dados” é a profissão da moda, e contratar alguém com experiência nessa área pode ser totalmente inviável, especialmente para quem ainda está começando e não tem muitos recursos. No entanto, existem milhares de desenvolvedores (e mesmo pessoas de outras áreas) que tem interesse em se desenvolver nessa área, e precisam só de um pontapé inicial nessa carreira. Para ajudar essas pessoas, e ter alguém dedicado para tocar iniciativas relacionadas com a análise de dados, a recomendação é procurar um profissional que esteja iniciando nessa área, e dar a ele a oportunidade de desenvolver trabalhos e construir experiência com projetos que vão ajudar a sua empresa a melhorar.

Com isso, chegamos na nossa última resolução: tomar mais decisões baseadas em dados, e menos decisões na base do “achismo”, da opinião e da intuição. As opiniões e intuições tem muito valor, e são muito importantes para os negócios, mas muitas vezes podem nos levar por caminhos errados ou decisões ruins. Confirmar as nossas ideias com dados faz parte de construir uma cultura empresarial de decisões suportadas por evidências, o que geralmente leva a melhores resultados. Não é uma mudança trivial, e, no dia-a-dia, muitas vezes pode parecer que buscar dados para fundamentar as nossas escolhas é uma perda de tempo ou uma burocratização, mas sempre é melhor ter segurança nas decisões e clareza no caminho que estamos escolhendo do que navegar no escuro.

A economia dos dados não é uma moda passageira. Trabalhar bem as informações que giram na sua empresa é tão importante quanto gerenciar o seu estoque ou o seu fluxo de caixa, ou quanto atender bem os clientes. As resoluções que estamos propondo aqui são um primeiro passo na jornada de orientar o seu negócio para explorar ao máximo o valor dos dados. Esperamos que sejam úteis, e, se você resolver adotar (ou já tiver adotado) qualquer uma delas, compartilhe os resultados com a gente.

BigDataCorp